jiujitsu-mundial-anaclara-moises-mariaeduarda-09-07-2018
Ana Clara e Maria Eduarda com o professor Moisés
 
Lutadores da equipe Alliance Jiu-Jitsu, de Uberaba, conquistaram medalhas no Mundial da modalidade, realizado entre os dias 5 e 8, no complexo Ibirapuera, em São Paulo-SP.
 
A equipe participou com 11 atletas, com quatro conseguindo um lugar no pódio. Foram um ouro, duas pratas e um bronze.
 
Ana Clara Ribeiro, faixa branca, sagrou-se campeã mundial. Ela ganhou o ouro na categoria infanto-juvenil A, peso pesado.
 
Maria Eduarda Aparecida, faixa branca, foi prata no infanto-juvenil A, meio-pesado. Júlia Oliveira, faixa roxa, também foi prata, no adulto pluma. E Vitória Leal, faixa branca, foi bronze no juvenil meio-pesado.
 
jiujitsu-mundial-julia-vitoria-09-07-2018
Júlia (faixa roxa à esquerda) e Vitória (quimono amarelo, direita): pódios
 
Júlia, a mais graduada entre as medalhistas, venceu a semifinal por finalização, e perdeu a final por pontos. Para ela, a prata foi a recompensa de um trabalho intenso.
 
“Foram muitos treinamentos, eram três por dia, todos os dias. Foi uma grande evolução, por estar começando a competir na nova faixa, há seis 6 meses. Essa prata teve gosto de ouro”, ressalta.
 
A campeã Ana Clara, de apenas 13 anos, começou a praticar o jiu-jitsu há pouco tempo, em janeiro. Natural de Uberlândia, ela iniciou no judô em 2015, em Corumbá-MS, e já tem diversos prêmios na modalidade. No jiu-jitsu, a carreira curta, antes do Mundial, já tinha o título de campeã brasileira.
 
A mãe da jovem, Mariana Ribeiro, conta que toda a família acompanha e incentiva Ana. Os dois irmãos mais novos também lutam judô e jiu-jitsu.
 
“Todos os sacrifícios são válidos porque ela faz por amor. Cada passo ou cada medalha significa um pedaço da história dela como atleta. Ela é muito dedicada e concentrada. Ela tem muito apoio do professor Moisés, porque ele acredita nela. E nós, como pais, ainda mais”, afirma.
 
Mariana destaca a conquista do ouro, mas faz questão de enaltecer outros valores que a filha não deve esquecer. “Uma vitória no Mundial é muito importante na vida de um atleta, sem dúvida. Mas a humildade e a força de vontade nunca podem ficar de lado”, conclui.
 
Fotos: divulgação

Parceiros 

anuncie boxe

lsguarato

river

golerefrigerantes

emporio

sue

boibao

burn

Scroll to top